Janeiro 2016

Tempo

Quero ver-te aqui  A sorrir de frescura  Como o ar da manhã  Quando te encontro Sonho mais alto Respiro melhor E os dias brilham mais  É neste lugar aqui Flores sem nome  Ondeiam ao vento  Quando lá chego Inspiro e expiro  Inundas-me E as horas sossegam Estás sempre aqui Contas  histórias  Era uma vez dizes Continue reading Tempo

Átono

Átono

Vai anda  anuncia  Desembrulha as palavras guardadas Descobre as  sílabas  deitadas  Grita  aos acentos  levantem-se ventos  E esvazia  à toa esse vazio de sílabas  tónicas  com que rebentas  no mar 

Cada Coisa

Cada coisa a seu tempo tem seu tempo. Não florescem no inverno os arvoredos, Nem pela primavera Têm branco frio os campos.   À noite, que entra, não pertence, Lídia, O mesmo ardor que o dia nos pedia. Com mais sossego amemos A nossa incerta vida.   À lareira, cansados não da obra Mas porque Continue reading Cada Coisa