Junho 2016

Para quem nunca está contente tinhas de beber vinho melhor

Para quem nunca está contente tinhas de beber vinho melhor

  Não há nada como o tempo para nos ensinar. Para nos por de longe a ver o perto e nos mostrar o mundo como ele é. Simples como a cristalina luz da manhã. Sofri tanto quando fugiste que ainda nem te pude agradecer – Obrigado por me teres deixado ir, obrigado por teres sido a hora H e o dia Continue reading Para quem nunca está contente tinhas de beber vinho melhor

Eureka

Eureka

Saí à rua só para te ver. Apesar de ser junho, no hemisfério norte haver muita luz e normalmente fazer calor, naquela manhã chovia como se fosse abril em Londres.  O sol, longe de tão alto, calcava as nuvens negras com tanta força que a água descia célere e certinha como uma gigantesca janela eletrica Continue reading Eureka

Chega

Chega

Saí à rua para te ver. Chovia tanto que não notava as pessoas no caminho, os encontrões no passeio, as ultrapassagens perigosas… Faço-me à estrada e atiro-me às memórias como se fosse de gasolina. Atiço-lhes lumes e fósforos e mais pensamentos incendiários, fogo e labaredas. Hei-de esbarrar em ti se continuar sempre em frente. Tu não me ganhas em Continue reading Chega