As flores do bem

Leio num texto antigo o amor de novo. No teu rosto percebo que a saudade é também parte do caminho, que a rota óbvia nunca é a melhor, que o amor não morre por decreto.

Leio num texto antigo o amor de novo. No teu rosto ensina-me que a luz iniciática pode não ser a mais clara e que a órbita perfeita do futuro não foi aquela que pensei.

Leio num texto antigo que encontrei essa luz nos teus olhos. Numa manhã de paz em que a distância não nos separava mas apenas nos ensinava quão próximos estamos um do outro.
Amor refletido. Espelho de mim. Beleza pura. As flores do bem.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.