Blog / Poesia

Carpe diem

Julho 31, 2017

Etiquetas:, ,

Colhe o dia, confia o mínimo no amanhã.
Não perguntes. É proibido saber o fim que os deuses
darão a mim ou a ti.
Leuconoe! Com os adivinhos da Babilónia não se brinca.
É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho.
Se muitos Invernos Júpiter te dará ou se este é o último que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar, não sabemos
Tirreno! seja sábio, beba o seu vinho e só no curto prazo revê as tuas esperanças.
Mesmo enquanto falamos, o tempo, tão ciumento está a fugir de nós.
Colhe o dia, confia o mínimo no amanhã.

Tradução livre do poeta romano Horácio (65 – 8 AC)

 

3
3 likes
Related Posts

Poesia

Olvido

Março 27, 2017 4 0

Poesia

Azul anil 

Março 14, 2016 0 0