Colo

Como um tesouro nas tuas mãos ela sorria.
Eu sorria com ela.

(…)
Vertigem desfeita no tempo do reencontro
Pela primeira vez um colo
Vida nas nossas mãos
(…)
O que foi nosso vai sempre sê-lo
nem que seja só nessa memória vazia e sem palavras que magoa ainda mais do que a dor
(…)
Há qualquer coisa de mágico na ponta dos teus dedos. Terra de mel.
Uma força longa e firme que agora nos move. E
um sinal.
(…)
Para o futuro quero apenas uma quotidiana esperança que se saiba renovar.
E um caminho de paz
(…)
Dá-me colo mãe
Quero colo

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.