Locus amoenus

You hope, I know

E se por algum acaso,
Vier a sentir saudade
Que seja por tudo o que não tive.
Palavras que guardo em silêncio,
Precisam de ti.
As minhas mãos,
Precisam de ti.
Os olhos reclamam,querem descansar nos teus.
Quero abraçar tudo o que tenho,
Ou seja,
A pele das tuas palavras.

You breathe, I live

Os exércitos de um e outro universo preparavam-se para a “colisão”. Junto à fronteira comum aos dois mundos a azáfama era grande. Fervilho e entusiasmo grassavam nas hostes. Era a primeira vez que se uniam em contenda.

You dream, I pray

Se existirem hordas, ou sequer fronteiras, serei a terra onde caminham, ou o vento que lhes beija a pele.
Serei cada espada, cada gota de sangue. Estarei na força de cada passo,e em todas as feridas que possam rasgar a alma. Seremos. Será?

You sleep, I watch

Acordo e tu acordas comigo. Como se fosse um acordar juntos original, ou então “o” acordar juntos, aquele acordar iniciático que esteve no início de todos os despertares, o big band dos awakenings, o minuto zero, o segundo primogénito, a invenção do amor.

You play, I win

No xadrez a rainha protege sempre o seu rei

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.