Luz garra

Aí no silêncio onde moras
à luz oblíqua de outono
sou teu íntimo felino
Garra da tua sombra
mago devoto na tua luz
Improvavel profeta
ecrã impossível
tocar-te e fuga
e som