Impõe-se

Impõe-se

“Tu não mandas em mim, eu faço o que eu quero” O que se impõe não está do outro lado da vontade. É contrário a ela. A vontade é a única coisa que não se impõe. Por isso, o que se quer e o que se impõe são incompatíveis. Como o são, quer e não Continue reading Impõe-se

Chiclanera

Chiclanera

Lá fora impreciso o vento corre frio. Um semi tom de sol, cálido às vezes, nas esquinas resguardadas. A ruas da cidade vão sossegadas, imagino que cheias de confortos empantufados dentro de casa. O dia não convida. Não há barulhos, um motor de carro aqui, outro ali, pontuam a pauta domingueira de pausas breves. Olho pela janela e Continue reading Chiclanera

Scherzo

Scherzo

O parque é uma pausa chique. O jardim solfejo dandy. Notas com pêlo pululam Dos colos dos donos para a pauta da luz Larghetto, o senhor Moniz, passeia sostenuto o semi fuso neto “Martim, o menino non tropo!” Ele, presto aqui,  vivo acolá, Põe cor num scherzo a preto e branco.

Silêncio

Silêncio

Dói-me o ar parado e esta angustia o tempo invertido a pirâmide que amolece Será que os meus olhos já te não sabem ver?

Urgência 

Urgência 

Não és um barco no mar. És o mar ao largo deste sonho dentro de Vénus alinhado de estrelas Mar de amor brilhante, Marte Ferrete dos deuses e oráculo Altar apócrifo Senáculo Não és um barco no mar És o poiso lento dos navegantes A fobia clara do minuto que passa do segundo lento do Continue reading Urgência 

Tempo

Quero ver-te aqui  A sorrir de frescura  Como o ar da manhã  Quando te encontro Sonho mais alto Respiro melhor E os dias brilham mais  É neste lugar aqui Flores sem nome  Ondeiam ao vento  Quando lá chego Inspiro e expiro  Inundas-me E as horas sossegam Estás sempre aqui Contas  histórias  Era uma vez dizes Continue reading Tempo