Poesia

Poeta sem abrigo

Março 22, 2017

Etiquetas:,

– Só um poema por favor!

(…)

Estou aqui a arrumar palavras

de mão estendida e boné de métricas

(…)

Abano o braço como um pêndulo

Enquanto estacionas devagar

(…)

Parece pequena a tua estrofe

Uma quadra simples

(…)

Cabia lá uma ode inteira bem sei

Mas hoje não consigo melhor

(…)

O meu caderno está cheio

De meios sonetos desarrumados

Atonamente incapaz

Esdrúxulo e quase mudo

(…)

Acabou de passar agora

Uma écloga veloz

Tão bem que ostenta!

Sonora desde tão longe

Vem depressa

a derrapar sílabas cruzadas

A emparelhar rimas

Mas não parou…

(…)

Põe-se agora o tempo neste poema

e não já há lugar para mais um verso

(…)

Ninguém ao longe te reclama

Poesia

Hoje não tens sorte

6
6 likes
Related Posts

Poesia

Liquidez

Dezembro 21, 2016 5 0

Your email address will not be published.