Perto de Deus

Perto de Deus

Eram oito e meia da manhã quando me sentei num dos grandes bancos corridos da nave maior na igreja de Santa Cruz em Coimbra. Estava frio. A luz da manhã nao conseguia entrar. Tudo era majestático e solene.  Duas lâmpadas antigas de halogénio projectavam uma luz amarela, diáfana e improvável, sobre as lajes centenárias do corredor do templo, as madeiras austeras e a fé encanecida de quem Continue reading Perto de Deus