Medo

Sai!

Sai!

Não me amedronta sair de casa mas tenho medo de não conseguir voltar. Lá fora é sempre a mesma coisa porque nada muda, nem tu nem o mar à tua volta nem as viagens feitas de silêncios em vez de bilhetes de avião e saudades. Trazias na palma da mão  uma lembrancinha, uma insignificância qualquer, só para poder continuar a Continue reading Sai!