Tempo

Devolvo à minha memória o teu olhar
Foi no ano em que éramos jovens
Nós e o nosso amor enfeitado de madressilvas
borboletas e mais animais mitológicos
Veio o tempo que me empurra e eu empurro-te
A lua lá fora já não brilha em estrofes
não canta elegias e sonetos nem encanta novidades
Olho à volta e não consigo sair desta rima torpe
Deste verso mole e das palavras vagas que não chegam

0