Poesia

Urgência 

Abril 5, 2016

Etiquetas:, ,

Não és um barco no mar.

És o mar ao largo deste sonho

dentro de Vénus alinhado de estrelas

Mar de amor brilhante, Marte

Ferrete dos deuses e oráculo

Altar apócrifo

Senáculo

Não és um barco no mar

És o poiso lento dos navegantes

A fobia clara do minuto que passa

do segundo lento

do século em brasa

Não és um barco no mar

És silêncio de morte e lua nova

Breu e calmaria

Noite em pleno dia

Não és um barco no mar

és só ciúme

Doença de marinheiro

Escorbuto e lume

Dá-me fogo que anoiteço

Ilumina o céu sem preço

e acende a chama doutra lida

Onde o barco no mar sejas tu

E sejas a vida

0
0 likes
Related Posts

Poesia

Scherzo

Abril 7, 2016 1 0

Poesia

Cada Coisa

Janeiro 18, 2016 0 0

Poesia

Intervalo

Dezembro 1, 2015 0 0